20/09/2017

Um livro antigo entre nós, algo único, a reter como uma pedra o contra-fluxo de nossos caminhos. Mil córregos possíveis, pinceladas infinitas de Van Gogh – péspátulas. “A natureza é a parte sem o todo”. Além de pedras, livros são como sementes – um jardim, uma floresta, um herbário de espécies em estado latente, à espera. Você e eu através das veredas às bordas de folhas secas – tudo, menos seu interior. Conhecer por vir, memória que virá, repassar a ser – emanar silêncio. De repente, os livros-lápides no chão são como setas, indicações de trânsito pedestre, o corpo em qualquer direção.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: